Vivagreen

Orgânicos

Quatro motivos para saber a origem dos alimentos

08 de julho, 2015

No Brasil, o hábito de buscar informações sobre a origem dos alimentos ainda vem engatinhando, no entanto, essa realidade está mudando. A gama de pessoas que vem buscado informações sobre a procedência do se que consome está cada dia maior, pois estão mais preocupados em oferecer à sua família uma alimentação mais saudável, com ingredientes naturais e produtores que respeitem também os processos de produção e a natureza. “Essas informações podem ser adquiridas de diversas formas: no supermercado ou sacolão onde faz suas compras, nas embalagens dos produtos, e até nos sites de algumas empresas que já disponibilizam as informações sobre esse alimento.”, afirma Talitta Maciel, nutricionista e coach do Espaço Reeducação Alimentar.

Infelizmente ainda não existe no Brasil uma regulamentação para as informações de origem dos produtos, o que facilitaria, e muito, a vida dos consumidores. Segundo Talitta, os alimentos orgânicos estão na frente nessa questão de informação. “Mais de 50% dos produtos orgânicos vem com informações de CNPJ do produtor e todos os ingredientes utilizados na produção até chegar ao supermercado”, afirma.

Porém, muitas pessoas ainda questionam o porquê de saber de onde vem e como é feito o alimento que está em cima da mesa. A nutricionista Talitta levantou quatro motivos para ficar atento no que se consome:

1º. Saber a origem do que se come possibilita saber se o alimento é fresco ou já foi colhido a algum tempo. “Quanto mais fresco o alimento está, mais nutrientes ele tem e mais sabor também”, afirma Talitta.

2º. Sabendo a origem também é possível identificar se foi utilizado agrotóxico ou não, e se a quantidade e tipo usado é permitido pela legislação. “Você pode fazer a opção de não consumir um produto com agrotóxico quando se sabe de onde ele veio e como foi produzido”, ressalta Talitta.

3º. Pode se fiscalizar o processo de fabricação do produto, assim o consumidor sabe os processos e etapas da produção do alimento podendo escolher empresas com visão procedimentos naturais e que respeite o meio ambiente.

4º. Pessoas com intolerância ou alergia há alguma substância podem escolher os produtos e evitar alguns problemas. Além disso, quem está fazendo dieta com restrições alimentares como carboidrato ou glúten, podem utilizar as informações disponíveis na embalagem dos produtos para fazer a melhor escolha.

Dra. Talitta Alves Maciel (CRN 26504) nutricionista graduada pela Universidade Bandeirante de São Paulo, Pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional pelo Centro Valéria Pascoal/ Divisão de Pesquisa e Ensino (UNICSUL). Membro do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional e da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva. Coach pela Sociedade Latino Americana, palestrante e Personal Fit. Sócia-proprietária da loja de produtos naturais e suplementos, o SHOP LIGHT e diretora – técnica da Clínica ESPAÇO REEDUCAÇÃO ALIMENTAR, onde atua em Nutrição Esportiva, Estética, Ortomolecular e Funcional, desde 2009.

Fonte: Segs/Organicsnet

Os comentários estão desativados.

Tweets

Vivagreen @Vivagreen1
Como funciona o processo de logística reversa de eletrônicos? #logistica #reciclar / via @Vivagreen1
h J R
Vivagreen @Vivagreen1
Oficina de Fitoterapia e Saúde Natural no Sítio Pau d'Água https://t.co/q3855o5IEI #saudenatural #organico / via @Vivagreen1
h J R
Vivagreen @Vivagreen1
BRASIL É O 4º NO MUNDO EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS https://t.co/d8VDQ9vaWa via @Vivagreen1
h J R

Principais posts