Vivagreen

Blog

Poste solar feito de bambu recarrega até 12 celulares ao mesmo tempo

25 de julho, 2015

Equipamento pode chegar a R$ 16 mil e é feito de forma artesanal.
Projeto foi premiado pelo Jornal O Globo e pela Fundação Getúlio Vargas.

Já pensou em recarregar seu celular em um poste feito de bambu, totalmente sustentável?

Essa é a proposta do Bambu Smart Point, desenvolvido através de uma parceria entre o Instituto Pindorama e a Oficina da Floresta, em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio.

A ideia é do gerente de projetos, Nilson Dias, e do marceneiro, Thalles Aguiar, que pensaram em criar um equipamento que recarregasse de 9 a 12 smartphones ao mesmo tempo, através de energia solar, e se tornasse um ponto de encontro.

Plataforma recarrega de 9 a 12 celulares ao mesmo tempo (Foto: Diego Castro, Estúdio Castro/reprodução)

O projeto, que também foi desenvolvido com Roberto Rodevalio, da Ecoverte, foi premiado pelo Jornal O Globo e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) no concurso “Jovens Empreendedores 2014”.

“Pensamos em algo parecido com o que a gente já encontra em aeroportos. A diferença é que esse poste é feito todo em bambu e poliuretano vegetal, à base de mamona, que impermeabiliza o equipamento. Usamos duas plantas abundantes no meio ambiente”, explicou Nilson, responsável pela divulgação do projeto.

Segundo ele, a parte elétrica é um painel fotovoltaico de 150W localizado na parte superior do poste que é recarregado com energia solar.

Planejado para ser um ponto de encontro, dentro do banco do equipamento tem uma bateria que acumula a energia do sol. “O tempo de recarga no Bambu Smart Point é mesmo de uma recarga na tomada”, contou Nilson que já projeta uma versão de recarga rápida.

O poste pode ser feito em formato quadrado ou triangular. O primeiro recarrega até 12 celulares, e o segundo, nove aparelhos. A versão quadrada custa em média R$ 9.990 e já foi vendida para a Escola Parque, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Já o poste triangular otimiza a carga de nove smartphones e está à venda por R$ 16 mil. “A ONG (Pindorama) investiu R$ 12 mil no protótipo do poste triangular, pois o bambu é laminado, mais liso”, disse, lembrando que é possível baratear o equipamento com um acabamento mais rústico.

Nilson e Thalles, criadores do equipamento (Foto: Diego Castro, Estúdio Castro/reprodução)

Nilson e Thalles, criadores do equipamento (Foto: Diego Castro, Estúdio Castro/reprodução)

Montagem
O Bambu Smart Point é feito artesanalmente por quatro pessoas, entre eles, jovens da zona rural de Nova Friburgo. A parte bruta, feita com a forma natural do bambu foi feita no Circuito Ponte Branca, próximo ao Instituto Pindorama, e a finalização em Macaé de Cima.

Nilson Dias ficou responsável pela estrutura elétrica do equipamento, enquanto Thalles Aguiar, fez a montagem (marcenaria) do poste. “Demoramos seis meses para fazer os dois postes, quadrado e triangular, mas o tempo de produção de cada modelo varia de dois a três a meses”, afirmou o gerente de projetos.

Aparelhos são recarregados ao mesmo tempo (Foto: Diego Castro, Estúdio Castro/reprodução)

Aparelhos são recarregados ao mesmo tempo (Foto: Diego Castro, Estúdio Castro/reprodução)

Além disso, o conceito do equipamento é totalmente sustentável, pois não utiliza nenhum material que prejudique o meio ambiente.  O objetivo, segundo Nilson e Thalles, é que o “poste solar” seja vendido para eventos, feiras ou bienais. “ Nesses locais a recarga de celular é sempre um problema, né? E aí pode ser uma opção diferente para o público”, comentou Nilson.

Escola sustentável
A Escola Parque, no Rio, comprou o equipamento e instalou na área externa da unidade na semana passada. Segundo Lucas Ripper, professor do Grupo Ambiental da Escola Parque (Gaep), a iniciativa faz parte do projeto Educar para a Sustentabilidade, desenvolvido com alunos do 6º ano.

“O colégio tem toda uma estrutura e uma metodologia voltada para o tema sustentável e a poste solar entrou na parte consumo consciente de energia e fica à disposição dos alunos e dos funcionários”, afirmou Lucas. De acordo com ele, o equipamento se torna um ponto de encontro dos alunos, que ficam conversando enquanto os celulares recarregam.

“Além disso, o poste tem uma estética bem interessante, bem bonita. Os alunos estão gostando bastante”, frisou o professor.

Equipamento é impermeável e pode ficar exposto à chuva (Foto: Diego Castro, Estúdio Castro/reprodução)

Equipamento é impermeável e pode ficar exposto à chuva (Foto: Diego Castro, Estúdio Castro/reprodução)

 Foto: G1
 
Via Casa da Sustentabilidade – casadasustentabilidade.wordpress.com

Os comentários estão desativados.

Tweets

Vivagreen @Vivagreen1
Como funciona o processo de logística reversa de eletrônicos? #logistica #reciclar / via @Vivagreen1
h J R
Vivagreen @Vivagreen1
Oficina de Fitoterapia e Saúde Natural no Sítio Pau d'Água https://t.co/q3855o5IEI #saudenatural #organico / via @Vivagreen1
h J R
Vivagreen @Vivagreen1
BRASIL É O 4º NO MUNDO EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS https://t.co/d8VDQ9vaWa via @Vivagreen1
h J R

Principais posts