Orgânicos

Vegetarianos lançam dossiê “Comendo o Planeta”

Por novembro 4, 2015 Sem comentários
imagem divulgação

O dossiê da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) Comendo o Planeta apresenta alguns dados que ilustram o problema da relação entre criação animal para abate e o meio ambiente:

– Atualmente, quase 30% das áreas terrestres do globo (a área do continente africano) são usadas como pastagem. Cerca de um terço de todas as terras aráveis se destina ao cultivo de ração.

– Quase 70% da área desmatada na Amazônia é usada como pasto. E, boa parte dos 30% restantes é ocupada para a produção de ração.

–  A construção de fazendas aquáticas já eliminou metade dos manguezais da Terra e um terço dos mangues brasileiros. A taxa de destruição já é maior do que a de florestas tropicais.

–  O setor agropecuário é responsável por mais de 90% do consumo global de água, e um terço deste volume se destina à irrigação e crescimento de cultivos para produzir ração.

– No Brasil, a cada quilo de camarão pescado, cerca de dez quilos de organismos marinhos são capturados acidentalmente.

– De 1990 a 2000, cerca de um terço da produção mundial do setor pesqueiro foi usado como ração para animais de cativeiro (inclusive para o gado).

– Sem a necessidade de criar e alimentar animais, poderíamos aumentar em cerca de 50% a quantidade de calorias disponíveis para consumo produzidas em terras agrícolas já existentes, e obter o suficiente para alimentar mais 3,5 bilhões de pessoas no planeta.

O relatório também discute a contribuição do setor pecuário nos níveis de emissão de gases de efeito estufa (GEE) no planeta, apresentando estudos recentes que mostram que medidas voltadas exclusivamente a melhorias na produção não serão suficientes para mitigar os altos níveis de emissão do setor.

A versão digital completa do livro está disponível gratuitamente para download no link:http://www.svb.org.br/publicacoes/livros.

A versão impressa custa R$ 10, e pode ser adquirida na loja da SVB: http://loja.svb.org.br/.

Fonte:  Organics News Brasil

Deixe uma resposta