Notícias

Tecnologia em favor do meio ambiente

Por novembro 17, 2015 Sem comentários
design-sneakers-bioknit-01

Estudante cria um tênis totalmente reciclável

Um par de sapatos pode levar até 50 anos para se desintegrar em um aterro sanitário.

E esse é apenas um exemplo de quanto os produtos industrializados demoram a sumir depois que são descartados.

Foi pensando na preservação do meio ambiente que o estudante Ammo Liao, do Royal College of Art, desenvolveu o Bio-Knit, um tênis totalmente reciclável.

A peça é feita de malha e sola produzidas por uma impressora 3D, onde é possível obter diversas espessuras e tensões do material na mesma superfície e criar vários desenhos para as estampas.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Os fios de polímeros alimentam máquinas automatizadas, que podem ser programadas para tecer malhas mais flexíveis ou rígidas, dependendo da parte do corpo em que ela vai ser utilizada.

A área em torno do pé, por exemplo, exige uma trama mais flexível para que seja fácil calçar ou retirar o tênis.

Já na parte frontal e no calcanhar é preciso ter pontos rígidos para garantir o apoio dos pés com conforto.

Assim, antes da montagem da peça essas duas partes, que exigem mais firmeza, são colocadas em uma prensa, onde o calor produzido por um laser faz com que o material enrijeça com precisão somente nas áreas definidas pelo designer

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Liao queria criar sapatos que pudessem ser reciclados de um jeito simples.

Por isso, foi buscar na natureza a fórmula para conseguir isso com a ajuda da Teoria da Biomimética.

Segundo ele, os plásticos produzidos pelo homem possuem uma composição complexa, por isso a reciclagem se torna difícil e cara. Já a natureza utiliza apenas alguns polímeros no meio ambiente, que são biodegradáveis.

Assim, o bio-tecido foi criado a partir de um único polímero e pode ser reciclado em sua totalidade, incluindo a sola. De acordo com o designer, esse material pode auxiliar a indústria de reciclagem, pois elimina o processo de separação de itens, diminuindo seus custos. 

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

O desenvolvimento de materiais como esse poderia auxiliar na conservação dos recursos naturais, na sustentabilidade dos aterros sanitários, na diminuição de gases que pioram o efeito estufa e, principalmente, na redução dos custos de reciclagem, fazendo com que esse processo seja utilizado para mais produtos. Invenções como essa são necessárias e mais do que bem-vindas em uma época onde os recursos naturais estão cada vez mais escassos.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Casa Vogue