Notícias

Silêncio em ônibus híbrido agrada a passageiros em Porto Alegre

Por outubro 4, 2015 Sem comentários
17660896

Ainda em fase de testes, coletivo ecológico alterna energia elétrica com óleo diesel

Circulando pelas ruas da Capital há cerca de dois meses, o ônibus híbrido da Carris, que alterna o motor a diesel com propulsão elétrica, agradou aos passageiros que embarcaram nesta segunda-feira no ponto final do T5. O motivo não foi a economia no consumo de combustível ou a diminuição de poluentes na atmosfera. É o silêncio ao deslizar pelas ruas da cidade que mais chama a atenção.

Ainda em fase de testes, o coletivo já passou pelas linhas T9, T2A e agora realiza o itinerário entre o Menino Deus e o Aeroporto, antes de ser testado na linha do T6. Durante os 10 dias que o veículo permanece em cada linha, são avaliados quesitos como o rendimento do motor, a potência e o consumo. Asté o momento, não foram constatadas falhas ou diferenças significativas em relação ao motor convencional.

Segundo o monitor responsável pelo treinamento dos motoristas, Márcio Stangherlin, o desempenho foi positivo mesmo em lombas e topografias acidentadas.

— Ao arrancar, o carro é movido pelo motor elétrico. O alto torque proporciona uma partida silenciosa. A partir do momento em que atinge aproximadamente 20km/h, o motor a diesel entra em operação — explica Stangherlin.

Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em paradas de embarque ou nos semáforos, o motor a diesel é desligado. Nas arrancadas, a emissão de poluentes é zero.

O sistema elétrico do ônibus é alimentado por baterias de íon de lítio com controle de temperatura. Estas baterias são recarregadas com a energia recuperada pela frenagem durante a operação do veículo.

Ao ver o hibribus se aproximar da parada em que estava, a aposentada Oyara da Silva Braga correu para conhecer a novidade. Achou interessante e bonito, mas o que mais gostou foi que ele é espaçoso. Outros passageiros mencionaram fatores como silêncio, conforto, estabilidade ao deslizar no asfalto. Já o técnico em eletrônica Rafael da Costa Fortes chegou sem saber que tinha algo novo. Ao saber do investimento no meio ambiente, apoiou e desejou vida longa à iniciativa:

— Acho muito bom que estejam investindo nisso, o ideal é que todas as linhas fossem assim.

veja o vídeo aqui

ZH