AC_1572

Projeto apoiado pelo MMA recolherá, em São Paulo, eletrônicos de pequeno porte, eletroportáteis e eletrodomésticos, como geladeiras.

Um acordo de cooperação, firmado entre o Brasil e o Japão, possibilitou a implantação de um programa inédito de logística reversa no setor de eletroeletrônicos. O projeto-piloto acaba de ser inaugurado e está em funcionamento na região da Subprefeitura Lapa, em São Paulo. Tem por objetivo coletar os materiais descartados e sensibilizar o cidadão para a importância da destinação correta desse tipo de produto.O projeto dará destinação adequada aos equipamentos que ninguém mais quer ter em casa, a exemplo daquele liquidificador velho, da televisão antiga e da geladeira que não serve mais. Com a finalidade de oferecer solução a esse problema, entrou em ação o Descarte ON, programa-piloto executado dentro do Projeto para Melhoria da Logística Reversa de Resíduos Eletroeletrônicos (REEE) no Brasil.

ACORDO SETORIAL

Para dar uma identidade ao projeto, um simpático robô, apelidado de Descartes, está sendo usado como mascote da iniciativa. Esse acordo de cooperação reúne a Japan International Cooperation Agency (Jica) e os ministérios do Meio Ambiente (MMA) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e da prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Serviços e da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb).

O projeto-piloto, que envolverá lojas e shoppings paulistanos, “poderá trazer informações que auxiliem na negociação do acordo setorial de eletroeletrônicos, ainda em aberto”, avalia a diretora substituta de Ambiente Urbano do MMA, Sabrina Andrade. Segundo ela, essa parceria entre os governos do Japão e do Brasil ajudará a sensibilizar o cidadão para a importância do descarte correto do resíduo elétrico e eletrônico.“Queremos evitar prejuízos ao meio ambiente e à saúde humana, e implantar um processo de logística reversa eficiente, desde a coleta e o transporte, até a reciclagem e a destinação correta do resíduo”, calcula Sabrina Andrade.

DIFERENCIAL

Poderão ser descartados todos os equipamentos eletrodomésticos, como liquidificadores, espremedores, ferros de passar e os eletrônicos de pequeno porte, tais como aparelhos de áudio e vídeo, laptops e celulares. Os objetos descartados nas lojas devem ter até 60 centímetros de largura, 50 centímetros de comprimento e 75 centímetros de altura.O diferencial desse projeto-piloto é a possibilidade de se descartar, também, os resíduos da linha branca. Chama-se “linha branca” aos eletrodomésticos de grande porte, como geladeiras, freezers, TVs e lavadoras de roupas. A coleta desses materiais será feita nas casas das pessoas e deve começar em breve.Não estão incluídos nesse projeto a coleta baterias, pilhas, lâmpadas fluorescentes e tonners de impressora.
SAIBA O QUE É POSSÍVEL DESCARTAR PELO PROJETO:
Linha branca – grande porte
– Geladeiras
– Freezers
– TVs
– Lavadoras e secadoras de roupas
– Lava-louças
– Bebedouros
Eletroeletrônicos de pequeno porte:
– Aparelhos de áudio e vídeo
– Nootbooks e laptops
– Celulares e seus acessórios
– Liquidificadores
– Espremedores e processadores de frutas
– Ferros de passar
– Torradeiras
– Batedeiras de bolo
Edição: Alethea Muniz
Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA): (61) 2028-1165
Ministério do Meio Ambiente Por LUCIENE DE ASSIS