1-e-shvr6mtYyUsaTh99g_Aw_editado

Após um ano, paulistanos consomem 70% menos sacolas plásticas. As sacolas verdes e cinzas, adotadas em janeiro de 2015 na cidade de São Paulo, ajudaram a reduzir o consumo desse tipo de embalagem. O dado é da Apas (Associação Paulista de Supermercados).

As sacolinhas são bioplásticas, pois possuem 51% de matéria-prima renovável na sua composição, como cana-de-açúcar e amido de milho e, por isso, agridem menos o meio ambiente. A de cor verde é destinada somente para material reciclável como papel, plástico, vidro e garrafa PET, que deve ser limpo e acondicionado nas sacolinhas.

As sacolas plásticas verdes foram feitas especialmente para facilitar a coleta seletiva da cidade. No entanto, isso não impede que, caso não tenha uma em casa, o morador faça a separação e limpeza e use outro tipo de sacola ou saco de lixo comum.

Tão importante quanto separar é colocar os recicláveis na calçada apenas no dia e horário da coleta seletiva da sua rua. Vale lembrar que a sacolinha cinza não deve ser utilizada para essa finalidade. Quem ainda não é atendido pela coleta seletiva pode, caso deseje, levar os materiais para um Ecoponto ou Ponto de Entrega Voluntário —PEV.

Para a publicitária Alessandra Silveira, 42 anos, a sacolinha serviu como ferramenta educativa em sua casa. “O sistema de sacolinhas ajudou na conscientização da família, principalmente das crianças. Hoje, todos participam da separação e gostam de fazê-la”, diz a paulistana, moradora da Vila Mariana.

@spcidadegentil

Deixe uma resposta