01-Green-Building-Foto-Blog-Uponor-HK-
Desafio da sustentabilidade: empreendimentos existentes

Certificações ambientais de empreendimentos são atestados considerados de “terceira parte”, emitidos por entidades de credibilidade para confirmar, validar e ratificar a adoção de estratégias e medidas para a promoção da sustentabilidade. Ocorre em edificações que tenham atendido a critérios claros e mensuráveis de desempenho ambiental em diversas áreas de abordagem dos processos de projetos e execução de obras, bem como de operações definidos em um conjunto de procedimentos previstos em sistema de certificação específico.

empreendimentosSustentabilidade – leed green building – www.behomeplan.com

O mercado de certificações ambientais de empreendimentos tem crescido a proporções exponenciais em todo o mundo, com destaque para o Brasil, país que tem se revelado internacionalmente nesse segmento, impulsionado essencialmente por edificações novas, que são identificadas pela denominação “Green Buildings” ou edifícios sustentáveis. Mas, o que fazer quanto aos empreendimentos existentes? Não poderíamos também torná-los empreendimentos sustentáveis?

A promoção do desenvolvimento sustentável, ou seja, a ideia de promover a satisfação das necessidades do presente sem comprometer a capacidade do planeta de também atender às necessidades das gerações futuras, passa, necessariamente, pela promoção de melhores práticas para novos empreendimentos e, claro, para as estruturas existentes, que podem contribuir de maneira fundamental para que se atinja esse objetivo.

empreendimentosSustentabilidade – Em oito anos, houve um aumento considerável no de empreendimentos existentes sustentáveis – FOTO hespinnakergroupinc.com

Por que empreendimentos sustentáveis ou Green Buildings?

Os edifícios são responsáveis por boa parte do consumo de energia elétrica em todo o mundo, bem como do consumo de água, das emissões de CO2 e geração de resíduos. Edifícios sustentáveis podem contribuir de maneira significativa para a redução da pressão sobre a demanda futura de recursos e para a redução dos impactos ambientais da construção.

Isso tudo na medida em que promovem melhores desempenhos nessas e outras áreas, com sensíveis reduções dos consumos de recursos como energia, água, gás e materiais, bem como reduções das gerações de resíduos e emissões de gases de efeito estufa e outros que prejudicam a qualidade do ar e a camada de ozônio atmosférico.

empreendimentosSustentabilidade – Os benefícios dos green buildings – ARTE ECOBuilding, com dados da USGBC

Além de redução de custos operacionais decorrentes da diminuição do consumo de recursos, os Green Buildings também promovem melhor qualidade dos ambientes internos e externos e favorecem o bem-estar e a qualidade de vida, o que tende a também favorecer a produtividade em ambientes de trabalho. Tais fatos levam à valorização da imagem dos empreendimentos e de seus promotores e demais envolvidos, o que por sua vez reflete em maior valor agregado da propriedade, melhores vendas e retorno do investimento nessas estratégias.

O ciclo de vida dos empreendimentos

Edifícios sustentáveis são, portanto, empreendimentos bem planejados, projetados e construídos. São, de fato, melhores que a grande maioria. Contudo, para garantir a sustentabilidade ao longo do ciclo de vida de uma construção, é fundamental que sejam igualmente operados e mantidos adequadamente. Construir de maneira sustentável constituiu um importante primeiro passo. Todavia, a questão que deve ser melhor resolvida está relacionada justamente à fase que mais pesa no custo do ciclo de vida de um empreendimento: sua operação e manutenção.

empreendimentosSustentabilidade – Os custos de empreendimentos sustentáveis existentes são menores se comparados aos de novos – FOTO ECOBuilding

Quando considerados os custos das pessoas que ocupam esses edifícios, tais questões se tornam ainda mais relevantes, já que os impactos das condições ambientais promovidas pelos edifícios na performance das pessoas, sejam em escritórios, hospitais, escolas, comércios ou indústrias, são de fato diretos e podem ser claramente percebidos, sobretudo porque representam um elevado percentual dos custos totais das empresas ao longo do ciclo de vida de um empreendimento.

Quais os custos envolvidos?

Pesquisas realizadas por organismos internacionais e brasileiros confirmam que os custos adicionais associados à construção de empreendimentos sustentáveis novos podem não alcançar sequer 2% do custo da obra e, para empreendimentos existentes, não chegam a 1% do valor do bem para adoção de práticas de sustentabilidade para a obtenção de uma certificação de Green Building para operação e manutenção, com retorno do investimento em um prazo inferior a dois anos.

Por outro lado, a conquista de uma certificação de sustentabilidade pode levar a uma agregação de valor patrimonial desses empreendimentos da ordem de 10%, além de representar um ganho expressivo de competitividade e atratividade junto ao mercado, o que se reflete em maiores taxas de ocupação e valores de locação.

empreendimentosSustentabilidade – O mercado de empreendimentos verdes nos próximos anos – FOTO ECOBuilding

Com isso, pode-se afirmar que em pouco tempo o mercado como um todo, e não apenas em alguns setores, certamente irá perceber que os empreendimentos sustentáveis são de fato melhores, passarão a valorizá-los ainda mais e a demandar cada vez melhores níveis de desempenho e qualidade das operações.

Empreendimentos que não sejam capazes de dar respostas adequadas a essas demandas, gradualmente perderão usuários em favor dos Green Buildings e, muito provavelmente, terão que recorrer à adoção de estratégias de sustentabilidade para recuperar atratividade no mercado. Afinal, sustentabilidade é uma questão ligada à própria sobrevivência, da sociedade e dos negócios voltados a empreendimentos. Os Green Buildings são, portanto, o caminho a ser seguido.

Autor

Antonio Macêdo Filho é arquiteto e urbanista pela UFBA e Master em Arquitetura Bioclimática e Edifícios Inteligentes pela Universidad Politécnica de Madrid. Especialista na área de Eficiência Energética das Edificações junto ao Instituto de Eletrotécnica e Energia (IEE) da USP; profissional credenciado LEED® AP Building Design and Constructionjunto ao USGBC e DGNB Consultant e Conselho Alemão de Construção Sustentável. É professor e coordenador do MBA em Construções Sustentáveis do INBEC/UNIP e diretor da EcoBuilding Consultoria e Desenvolvimento Profissional. Com 20 anos de atuação na área, é um dos precursores da sustentabilidade das construções no Brasil, sendo um dos primeiros profissionais credenciados LEED® e criador dos primeiros cursos preparatórios para a formação de novos profissionais LEED®Green Associate e LEED® Accredited Professionals do país.

 

Tem Sustentável por Arq. Antonio Macêdo Filho

Um comentário

  • claudio picerni disse:

    seria muito bom se todos os prédios focem de sustentabilidade, a prefeitura tem adiantar esse conceito e urgente eu aprovo e assino em baixo, parabens a todos que lutam por esta causa