blocos-alvenaria-vivos

A Universidade do Oeste de Inglaterra (UWE Bristol) anunciou o desenvolvimento de um novo tipo de blocos para construção em alvenaria, capazes de produzir energia e reciclar águas residuais, entre outras funcionalidades.

O estudo insere-se no projeto europeu Arquitetura Viva (“Living Architecture” – LIAR), liderado pela Universidade de Newcastle, que visa criar sinergias entre a engenharia civil, arquitetura e ciências da computação com o objetivo de lidar com os problemas globais de sustentabilidade.

MFC – Células Microbiais de Combustível

Os novos blocos inteligentes de alvenaria são produzidos com materiais bio reativos, constituídos por células microbiais e algas. Esses materiais, denominados Células Microbiais de Combustível (MFC) contêm uma estirpe de microrganismos especificamente escolhida pela sua capacidade conjunta de purificação de fluidos, recuperação de fosfatos e geração de eletricidade.

As MFC constituintes dos reatores vivos existentes nas paredes de alvenaria são capazes de detetar as características do ambiente circundante e responder, através de um conjunto de mecanismos coordenados digitalmente, à variação de diferentes parâmetros.

Os edifícios construídos com estes bio reatores serão verdadeiros organismos vivos de grande escala, dirigidos à satisfação das necessidades energéticas e ambientais dos seus ocupantes.

Integrados no Projeto LIAR, financiado em 3.2 milhões de euros pelo programa de inovação Horizonte 2020 de União Europeia, estão também a Universidade de Trento, Universidade de Florença, Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), o Liquifer Systems
Group e a Explora.

Via Engenhariacivil / UWE Bristol | Imagem (adaptada): UWE Bristol

Deixe uma resposta