energy pavilion

Recentemente, o Museum Gardens se tornou o lar do Triumph Pavilion que acontece anualmente e nesta edição focou no tema “energia“. Neste contexto, o “Energy Pavilion”, projetado pelo Five Line Projects, assumiu uma abordagem multidisciplinar em relação ao tema, lidando com a sustentabilidade social, o movimento e o poder da comunidade. O pavilhão consiste em um lugar de encontro lúdico, concebido para explorar o impacto que tem uma única ação positiva em seu entorno. 

Cortesia de Sergio Grazia e Luc BoeglyCortesia de Sergio Grazia e Luc BoeglyCortesia de Sergio Grazia e Luc BoeglyCortesia de Sergio Grazia e Luc Boegly

O ArchTriumph organiza anualmente um concurso aberto, oferecendo uma alternativa para a expressão da arquitetura. O evento busca projetos inovadores, experimentais e engajadores que tenham o poder de beneficiar a sociedade.  

 

Cortesia de Sergio Grazia e Luc Boegly

Cortesia de Sergio Grazia e Luc Boegly

O pavilhão do Five Line Projects é composto por uma floresta de hastes de aço inoxidável que sustentam hélices de cata-vento empilhadas. Ao girar uma hélice, o visitante coloca em movimento as hélices adjacentes, criando um efeito de onda em toda a “floresta”. Trata-se de uma metáfora para a “energia coletiva da comunidade“, como uma ação pode desencadear uma série de reações. 

O projeto foca no engajamento dos usuários, e a floresta se torna um lugar onde inclusão e acessibilidade reinam supremas.  

Cortesia de Sergio Grazia e Luc Boegly

Cortesia de Sergio Grazia e Luc Boegly

O pavilhão, cujo projeto de engenharia esteve a cargo da Arup, tem 64 m² e é totalmente autoportante. Sua estrutura é predominantemente de bambu, uma escolha sustentável, além de empregar hastes de aço inoxidável, madeira, painéis de madeira laminada colada e revestimentos de alumínio. 

 

Cortesia de Sergio Grazia e Luc Boegly

Cortesia de Sergio Grazia e Luc Boegly

Via ArchTriumph

Header_Viva+Eolica

Deixe uma resposta