abelhas

Um estudo recentemente publicado e levado a cabo por investigadores do Centre for Ecology & Hydrology do Reino Unido, vem mais uma vez ligar o uso de neonicotinóides à grande mortalidade das abelhas.

Este estudo teve uma duração de dezoito anos, sendo assim, o único que tem uma análise de impacto de grande duração (1994 a 2012) e comparou a evolução de 62 colónias junto a campos de colza, cultura que serve de principal fonte de pólen para as abelhas.

Depois de 2002, ano em que foi aprovado o uso dos neonicotinóides nas sementes de colza, que se registou uma quebra média de 13% no número de abelhas destas colónias.

Conclusão

Como conclusão deste relatório, defende-se uma ligação directa entre os neonicotinóides e a mortalidade das abelhas e são apresentados dados concretos que indicam uma mortalidade de 10%, devido ao uso deste insecticida.

As empresas produtoras deste insecticida continuam, no entanto, a defender que os estudos não são claros e que continua a não haver nenhuma prova cientifica que ligue os neonicotinóides à mortalidade das abelhas.

Via Agroinfo.pt

 

Deixe uma resposta