Energia

Estudantes de SC fazem barco a energia solar que atinge 30 Km/h

Por novembro 12, 2015 Um comentário
BarcoSC

Painéis na embarcação captam raios solares, que servem de combustível. Estudantes querem vencer competição no RJ e ir para o mundial em 2016.

Estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desenvolvem em Florianópolis um barco movido a energia solar capaz de atingir 30 quilômetros por hora. O objetivo é participar do campeonato brasileiro dessa categoria, que vai ocorrer neste mês em Búzios, no Rio de Janeiro. Para além da competição, porém, os alunos ajudam a desenvolver novas tecnologias.

Atualmente, a equipe Vento Sul melhora o barco chamado de Guarapuvu. O desafio deles é montar um veículo veloz e eficiente. Na categoria livre, a Vento Sul já foi campeã cinco vezes e quer levar o primeiro lugar novamente no Desafio Solar Brasil, que ocorre de 11 a 15 de novembro.

Os raios solares funcionam como combustível, captados em painéis que vêm sendo aprimorados a cada ano. Como toda prova de velocidade, a regra é simples: vence quem chegar primeiro.

“Estamos confiantes. O principal desafio é não perdermos para nós mesmos. A gente sempre melhora o projeto, todos os anos”, disse o capitão da Vento Sul, Bruno Leonardo e Silva, que é estudante de engenharia civil. “Aprendo muita coisa aqui que consigo usar em muitas matérias do curso”, diz Willian Vieira dos Santos, estudante de engenharia mecânica.

Painéis colocados no barco captam a energia solar (Foto: Reprodução/RBS TV)Painéis colocados no barco captam a energia solar
(Foto: Reprodução/RBS TV)

Painéis para capturar energia solar

O Guarapuvu tem seis metros de comprimento, é leve e tem na parte superior painéis que captam a energia solar, armazenada em uma bateria no interior das embarcações.

Mas, se o sol não aparecer no dia, as embarcações funcionam mesmo assim. “Ele tem um banco de bateria de um quilowatt. É pouco, a ideia é ser um barco solar, e não apenas elétrico. Com um pouco de luz, ele funciona e, se o tempo fechar totalmente, ele ainda funciona com a bateria, não se perde no mar”, explicou Bruno.

A meta é vencer a prova deste ano para, em 2016, ir para Holanda participar da competição mundial. “Se vencermos o Desafio Solar Brasil, é um indicativo que estamos no caminho certo para a competição do ano que vem. Teremos um barco novo. Acaba a competição deste mês, começamos a projetar um barco novo para ir para o mundial”, diZ o capitão da Vento Sul.

Fonte: G1