Energia

A inglaterra já está testando estradas que recarregam carros elétricos durante a viagem

Por outubro 23, 2015 Sem comentários
DWPT-photo_c

Um estudo realizado na Inglaterra diz que a frota de  irá aumentar devido a chegada das  estradas que podem carregar os veículos ao longo da viagem.

A autonomia das atuais baterias de carros elétricos não são suficientes para uma viagem longa. Enquanto os carros elétricos rodam 260 milhas, algo em torno de 418 km  para uma carga completa, carros a gasolina podem rodar até 300 milhas – 482 km –  ou mais.

Já a Inglaterra, anunciou na semana passada que está testando equipamentos a 18 meses e que agora vai começar os estudos de viabilidade. (O teste não será em vias públicas, por agora.)

Durante os ensaios, os veículos serão equipados com a tecnologia sem fio e equipamento especial será instalado sob os carros. Cabos elétricos enterrados sob a superfície irá gerar campos electromagnéticos, que serão captados por uma bobina dentro de um dispositivo acoplado ao carro e convertida em eletricidade.

Simulação com estradas reais.

A conclusão de todos os estudos está marcada para acontecer no final deste ano; detalhes serão revelados quando um empreiteiro tenha sido designado. Haverá uma continuação potencial em estradas reais.

O ministro dos Transportes Andrew Jones diz que “o governo irá investir £500 milhões nos próximos cinco anos para manter a Grã-Bretanha na vanguarda desta tecnologia.”

“As tecnologias automotivas estão a avançar a um ritmo cada vez maior e estamos empenhados em apoiar o crescimento de veículos de emissões ultra-baixas nas auto-estradas da Inglaterra.” Diz Mike Wilson, engenheiro-chefe de rodovias.

Os ensaios off-road de tecnologia de energia sem fio vai ajudar a criar uma rede de estradas mais sustentáveis para a Inglaterra e abrir novas oportunidades para as empresas que transportam mercadorias em todo o país.” Continua.

Este não é o primeiro estudo do tipo. Na Coréia do Sul, um trecho de 7,5 milhas (12 km) de estrada tem abastecido até ônibus elétricos, através de um processo chamado Shaped Magnetic Field in Resonance (SMFIR)

Mas este novo projeto é muito mais ambicioso e potencialmente algo que irá revolucionar as malhas de rodovias pelo mundo. Alguns céticos se manifestaram contra o regime; Dr Paul Nieuwenhuis, o diretor do Centro de Excelência Elétrica Veicular da Cardiff Business School, disse à BBC que “soa muito ambicioso para mim. O custo será o maior problema e eu não estou totalmente convencido de que vale a pena.”

Ela aponta melhorias na tecnologia da bateria, questionado se algum dia haveria uma necessidade de tais estradas.

De acordo com Mashable.