BMW_i3

O preço superior em relação aos veículos movidos a motores de combustão hoje é um impedimento para que os carros elétricos tenham uma maior propagação no mercado, mas sem nenhuma dúvida, o que a maioria dos compradores reclama é sobre a limitação de autonomia e o tempo de recarga dos modelos elétricos. Alguns, como o BMW i3, oferecem versões com autonomia estendida, que contam com um pequeno motor a gasolina que serve como gerador de eletricidade, embora isso não o transforme em mais atrativo.

bmwi3l

É exatamente o BMW i3, um dos modelos elétricos que nos próximos meses deverá dar um importante salto em relação à sua autonomia. Ian Robertson, responsável de vendas da BMW, disse que até o meio deste ano de 2016, o BMW i3 terá uma importante melhora em relação à autonomia. Ainda não há um número definitivo, mas fala-se de um incremento na autonomia de até 50%.

O fato de que o BMW i3 com as novas baterias de íons de lítio possa rodar até 50% a mais de distância com uma só recarga torna-se mais interessante. Por um lado, pelo simples fato de poder rodar mais quilômetros, mais clientes optarão por ele e por outro lado porque será um dos elétricos com maior autonomia. Esse incremento se traduz em que se poderão percorrer até 193 quilômetros, em relação aos 130 do modelo atual. O Nissan Leaf, que é o carro elétrico mais vendido do mundo – também com um preço inferior ao do alemão – apresenta uma autonomia de 172 quilômetros.

Junto com a melhora na linha do BMW i3, a marca alemã apresentará outra série de novidades para o compacto elétrico, das quais ainda não se conhecem detalhes. Em 2015 foram comercializados 24.057 unidades do BMW i3, 50% a mais que em 2014.