Estudantes-arquitetura-constroem-casa-tijolos-feitos-lixo-industrial-e1468771192608

É o que dizem: se a vida te dá limões, faça limonadas!

Lembra da brasileira que criou tijolo a partir de lixo?

Parece que a moda pegou de verdade.

Dois estudantes de arquitetura, residentes em Roterdã, resolveram criar sua própria tecnologia para construir casas. A matéria-prima? Lixo industrial da região.

“Buscamos dar uma segunda vida a materiais descartados”, conta Ward Massa, um dos estudantes responsáveis pela ideia, que acabou virando negócio social.

Eles fundaram a startup Stone Cycling, que comercializa tijolos feitos de lixo.

Batizado de Waste Based Bricks, o produto faz sucesso atualmente, mas demorou alguns anos para que os inventores descobrissem sua fórmula perfeita.

O segredo é juntar vidro, cerâmica e resto de lixo industrial com um fórmula secreta.

Também é possível usar restos de tijolos tradicionais e restos de demolição.

Curtiu? Então, ouve essa: além de reutilizar materiais que acabariam em aterros sanitários, o processo de produção dos novos tijolos usa menos energia (o que reduz ainda mais sua pegada de carbono).

E mais: graças a uma parceria com a Academia de Arquitetura de Amsterdã e com designers do Studioninedots, a startup pode desenvolver tijolos que se encaixam como Legos e, portanto, não precisam de cimento.  

Assim, fica ainda mais fácil reutilizar o material, evitando demolições. Para ninguém botar defeito!

Os estudantes ainda precisam de mais investimento para tornar viável a comercialização em grande escala da tecnologia, mas apostamos que interessados não vão faltar.

A própria casa dos inventores é prova viva de que é possível construir moradias baratas e de qualidade com a nova técnica.

The Greenest Post

Um comentário

  • vania disse:

    tudo aquilo que for para melhoria e proteger nosso meio ambiente é bem vinda e merece toda a participação e compartilhamento daqueles que esperam e torcem para que outros também tenham bom senso neste aspecto. Parabéns pela iniciativa!

Deixe uma resposta