tecido regenerar

Uma equipe de cientistas da Penn State University desenvolveu um revestimento para tecidos que faz com que eles se regenerem ao serem colocados na água. Buracos ou rasgos em roupas feitas com tecidos com esse revestimento poderiam ser consertados simplesmente colocando as roupas na água.

O líquido responsável pelo revestimento pode ser aplicado diretamente aos fios do tecido, ou mesmo a roupas já fabricadas. Com isso, qualquer peça de roupa poderia ser consertada sem a necessidade de linha e agulha. A equipe publicou seus achados em um artigo no ACS Applied Materials and Interfaces.

“Nós estávamos procurando uma maneira de fazer tecidos convencionais se regenerarem automaticamente, então desenvolvemos essa tecnologia de revestimento”, disse o professor Melik Demirel, da Penn State. Criado a partir de uma proteína encontrada em cabelos humanos e tentáculos de lulas, segundo a CNN Money, o líquido pode ser aplicado de maneira simples, conforme mostra o vídeo abaixo:

Segundo os pesquisadores, embora as emendas do tecido sejam visíveis, ele mantém sua resistência e flexibilidade após o processo. Ainda de acordo com eles, mesmo o impacto de uma lavagem a máquina não é suficiente para danificar as emendas. Dessa forma, roupas criadas com tecidos revestidos com esse material poderiam consertar pequenos furos ou rasgos com uma mera lavagem.

Resistência a ameaças químicas

Outra propriedade interessante do revestimento é que ele permite que os tecidos aos quais é aplicado neutralizem substâncias químicas tóxicas. Isso porque enzimas podem ser incorporadas ao revestimento durante o processo. “Se você quiser usar enzimas para efeitos químicos ou biológicos, você pode fazer uma enzima encapsulada com propriedades auto-regenerativas degradar a toxina antes de que ela chegue à pele”, disse Demirel.

Com isso, essa tecnologia também poderá ser útil para proteger trabalhadores industriais, pesquisadores de laboratório, farmacistas ou mesmo soldados. Seria necessário, no entanto, adequar o revestimento às substâncias mais ameaçadoras para cada uma dessas categorias.

Médicos e pacientes hospitalares também poderiam se beneficiar dessa novidade, já que ela pode ser feita para ter propriedades antibióticas. Dessa forma, ela poderia ser aplicada a jalecos ou curativos para reduzir o risco de infecções hospitalares.

Produção sustentável

O próximo passo dos pesquisadores, segundo o Engadget, é verificar se o líquido que faz o revestimento pode consertar roupas ao ser jogado na máquina de lavar. Caso isso seja de fato possível, ele poderia ser usado de maneira semelhante a detergente:  bastaria jogar um pouco dele na máquina de lavar para que os furos e rasgos das roupas lavadas fossem consertados.

No entanto, os cientistas se preocupam também em gerar uma maneira de produzir o líquido de maneira sustentável em larga escala. “Lulas são um recurso limitado. Então nós precisamos replicar essa propriedade única encontrada em suas proteínas usando biotecnologia e outras substâncias”, disse Demiral.

Via Olhar Digital por Gustavo Sumares