projeto-menos-lixo
Famílias foram descobrindo novas maneiras de reaproveitar os materiais, resultando em apenas dois potes de resíduos não descartados no período de um ano

Moradores foram descobrindo novas maneiras de reaproveitar os materiais, resultando em apenas dois potes de resíduos não descartados no período de um ano
A massiva produção de lixo é um dos maiores problemas a serem resolvidos para a manutenção de um futuro mais saudável para o planeta.

Muito mais que uma questão a ser solucionada por autoridades e ações coletivas, o problema precisa ser focado na conscientização das pessoas, na forma como elas desenvolvem seus hábitos e se reeducam.

Pode até parecer um daqueles filmes de reflexão que as coisas dão certo no final, mas a experiência que duas famílias canadenses compartilharam no último ano é um exemplo que merece ser visto e seguido por todos.

Tara Smith, que vive com seu marido e dois filhos na cidade de Victoria, e Katelin Leblond, que também é casada e mãe de dois filhos, da cidade de Bea Johnson, decidiram em 2015 implementar uma nova rotina em seus respectivos lares.

Quando Katelin comentou com Tara sobre o best-seller “Waste Free Home” (tradução para Casa Livre de Resíduos) que estava lendo, ambas resolveram aplicar os ensinamentos.

Desde então, as amigas têm transformado radicalmente a relação de suas famílias com a produção do lixo, minimizando os hábitos de descarte de todo tipo de material.

Para fazer da experiência uma iniciativa séria e definitiva, Tara e Katelin passaram a carregar consigo um pote de vidro para recolher todos os seus “rastros de sujeira” produzidos pelas famílias.

Para registrar a jornada, a dupla decidiu criar o blog “Pare Down”, onde também discute outras ideias ligadas à sustentabilidade.

Modificando toda a maneira de viver das oito pessoas, Katelin e Tara acabaram descobrindo como podem reaproveitar de dezenas maneiras cada material consumido no dia a dia.

Ao final dos primeiros 365 dias seguindo o novo estilo de vida, apenas dois potes de vidro com resíduos descartáveis não foram reciclados de alguma forma pelas famílias.

Pensamento Verde

Deixe uma resposta