Blog

Empresário instala “geladeira solidária” em Goiânia

Por outubro 2, 2015 Sem comentários
image1

Uma geladeira que foi instalada em uma calçada na Rua 7, no Centro de Goiânia, oferece comida de graça para os necessitados. O projeto, chamado “Geladeira Solidária”, visa arrecadar doações de alimentos, que podem ser retirados por qualquer pessoa que passe pelo local.

A iniciativa de colocar a geladeira foi do empresário Fernando Barcelos, que viu a ideia na internet. Ele contou que, uma noite, quando saía do trabalho viu uma mãe com uma criança sozinhas procurando por comida. Ele se sensibilizou e começou a buscar formas de ajudar as pessoas que passam fome.

“Estava saindo do trabalho e vi uma mulher com um recém-nascido pedindo comida. Eu dei para eles durante três dias. Em casa, vi na internet que tinham feito isso [colocado geladeira na rua] na Holanda e na Arábia Saudita e resolvi fazer aqui também. Espero que seja a primeira de muitas, que outras pessoas vejam e façam o mesmo em outros lugares”, contou ao G1.

O empresário lembrou que a região da Rua 7 é próxima à Avenida Goiás e muitos moradores de rua e usuários de drogas passam pelo local. Desde que o equipamento foi instalado na calçada do comércio do idealizador do projeto, no último dia 16, a movimentação de pessoas tem sido grande.

Fernando diz que, com a iniciativa, procura despertar na população a consciência do quanto é desperdiçado no dia a dia. “Nós jogamos fora quase um terço do que consumimos em um ano. Isso é muita coisa. Se tivermos noção de que outras pessoas que não tem nada precisam de alimento, talvez o desperdício seja menor”, afirmou.

Ajuda
O morador de rua Washington Gomes, de 43 anos, contou que o período da noite é o mais difícil para quem não tem onde morar e, muitas vezes, passa fome. “As pessoas ficam com receio, não ajudam muito. Os lugares que tem comida e que nos ajudam já estão fechados”, relatou.

Ele disse que a geladeira já o ajudou em momentos que ele precisava de comida, quando comeu marmita, pizza, macarrão instantâneo e até frutas. “É uma ideia inovadora, melhor que dar dinheiro. Já me ajudou quando eu estava com fome. Comi uma pizza aí esses dias, estava muito boa”, contou.

Empresário colocou geladeira na calçada de seu empreendimento Goiânia Goiás (Foto: Vanessa Martins/G1)
Fernando Barcelos colocou geladeira na calçada de seu empreendimento (Foto: Vanessa Martins/G1)

A auxiliar administrativa Raiany de Sousa, de 24 anos, que também cuida da geladeira, contou que vê sempre pessoas que realmente precisam pegando comida no local.

“Quando saímos à noite, geralmente, tem ainda uma quantidade boa de comida, mas de manhã, quando chegamos, já não tem mais nada”, contou. Ainda segundo a funcionária, a geladeira fica disponível 24h todos os dias da semana, ela só é recolhida aos finais de semana.

Mesmo ficando sempre à disposição das pessoas, a auxiliar administrativa afirmou que todos têm respeitado a ideia. “Nunca encontramos nada inesperado lá dentro, só comida mesmo”, afirmou. A geladeira é checada com frequência e se algum alimento não estiver dentro da validade este é removido imediatamente.

“Ela é bastante democrática. Para pegar a comida não precisa fazer cadastro, não precisa de nada. Vai da consciência de cada um”, completou o idealizador do projeto.

Alimentos doados devem estar embalados e dentro da validade Goiânia Goiás (Foto: Vanessa Martins/G1)
Alimentos doados devem estar embalados e dentro da validade (Foto: Vanessa Martins/G1)

Doações
Para colocar comida na geladeira é preciso respeitar algumas regras. Todas as comidas têm que estar fechadas e é preciso que estejam dentro da validade, constando a data de fabricação na embalagem. Também não é permitido colocar bebidas alcoólicas, ovos, carnes ou peixes crus ou pacotes abertos.

Fernando Barcelos afirmou que a geladeira é abastecida com frequencia. “Nós sempre colocamos doações quando vemos que a geladeira está vazia. Pessoas da região que já viram a ideia também vêm contribuir e até um restaurante aqui da rua”, afirmou.

O empresário Eustáquio Ribeiro, de 48 anos, é dono de um restaurante próximo ao local onde a geladeira fica instalada e doa marmitas todos os dias. “Colocamos a comida do dia com a data em que foi feita a comida na embalagem e deixamos lá. Acho que é uma ideia muito interessante. Sempre tem algo que podemos doar e tem muita gente precisando. Se todo mundo fizer um pouquinho, o todo agradece”, disse.

Ribeiro também comentou que espera que a “Geladeira Solidária” continue ali. “Ainda bem que ninguém levou ela”, afirmou.

G1