Foto: Istock/Getty Images

Em regiões onde o consumo de agrotóxicos cresce vertiginosamente ou ainda em que a comida industrializada dá o tom, fazendas e sítios lutam para sobreviver e continuar produzindo alimentos orgânicos e de qualidade. Parte do problema vem do fato de pessoas não se conectarem ao universo dos pequenos produtores e não refletirem sobre a cadeia logística de seus alimentos.

Tentando resolver essa questão, um grupo de estudantes da Universidade de Berkley, na Califórnia (EUA), criou a Farmcation, uma startup que transforma fazendas e sítios em lugares turísticos. Partindo da premissa de que millennials estão mais interessados em comprar experiências do que coisas, a ideia é promover o turismo de pessoas da cidade para que elas possam entender melhor como é a realidade dos pequenos produtores mais próximos.

mãos segurando batatas

Foto: Istock/Getty Images

Os turistas se conectam a um fazendeiro, ganham um tour, podem coletar as plantas diretamente da terra, fazem um piquenique na fazenda e ainda desfrutam de um almoço com os alimentos ali plantados, mas preparado por um chef especial. No site do projeto eles dizem:

“A Farmcation está profundamente enraizada em procurar promover conexões com a comida e com aqueles que a plantam. Procuramos construir comunidades ao conectar pessoas com o que elas comem, com a terra onde elas crescem, e quem as produz. Se você está curioso para tentar algo novo, procurar entender profundamente nosso sistema alimentar ou apenas procurando por algo divertido e diferente, nós ajudamos você a voltar a suas raízes.”

Como surgiu a ideia de conectar consumidores a pequenos produtores

Grace Lessar, cofundadora da empresa, estava para se casar e quis fazer algo diferente: ela e seu marido plantariam toda alimentação que seria servida no casamento. Criaram mais de 65 galinhas e 43 mil metros quadrados de vegetais, com o apoio de fazendeiros locais. Então entendeu as dificuldades que eles enfrentam.

“Nós acreditamos que comida é muito mais que sustento. Seja dividindo o pão na mesa de jantar ou visitando o mercado de pequenos produtores, boa comida nos aproxima um do outro e do mundo em que vivemos, nos inspirando a viver o melhor de nossas vidas”, explica a empresa em seu site.

É claro que o conceito tem uma série de dificuldades. A maioria dos pequenos produtores não tem tempo para ficar apresentando suas terras, fazendo workshops de plantios ou piqueniques para jovens descolados em busca de turismo.

Diz Grace em entrevista à revista FastCompany:

Reconhecemos que muitos pequenos produtores simplesmente não tem a capacidade ou os meios para investir recursos e tempo para planejar e executar esses eventos e workshops, então estamos trabalhando com a possibilidade de oferecer um conjunto de serviços mais compreensivos de consultoria.

Via Free The Essence por Kaluan Bernardo