hippo-water-roller

A ideia é bastante simples e até faz você se perguntar: por que não fizeram isso antes?

E é exatamente por ser simples que ela é revolucionária.

Os engenheiros sul-africanos Pettie Petzer e Johan Jonker bolaram um jeito simples e prático para facilitar a tarefa nada simples de transportar água enfrentada por milhares de pessoas (principalmente as mulheres e as crianças) no seu país.

Hippo-Water-Roller-Barril-de-água-1

Essa dupla de engenheiros criou o Hippo Water Roller, um tipo de barril que rola sobre o chão conectado a um eixo. A invenção permite substituir os baldes no transporte da água.

O projeto existe desde 1994 e já se expandiu e provocou em outros 20 países. Muito mais fácil de carregar, o Hippo Water Roller consegue armazenar 90 litros de água: volume praticamente impossível de ser transportado em um balde na cabeça. Ainda existem versões equipadas com um filtro que torna a água apropriada para o consumo.

Hippo-Water-Roller-Barril-de-água-2

Segundo os idealizadores do projeto, até setembro de 2015, aproximadamente 46 mil barris foram distribuídos, beneficiando até 300 mil pessoas, considerando uma média de 7 pessoas por família.

Hippo-Water-Roller-Barril-de-água-3

Hippo-Water-Roller-Barril-de-água-4

Hippo-Water-Roller-Barril-de-água-5

Todas as imagens: Divulgação

4 comentários

  • luiz franca disse:

    nada de novo nem, nada criativo. Esse tipo de transporte de agua sempre existiu no nordeste do Brasil. A população merece respeito, agua tratada e encanada.

    • Rafael disse:

      Luiz Franca, não sei se reparou mas esse post é sobre a AFRICA e não sobre o NORDESTE> inteligencia rara.

  • Marcos disse:

    Se beneficia a população no transporte da água está ok, mas há 50 anos atraz meu pai já usava esse “invento revolucionário” com barril de madeira, de vinho, os caras patentearam só isso, mas parabéns pela ijiciativa de distribuílos a população.

  • Marcus disse:

    https://www.flickr.com/photos/apoiocultural/8275000714/
    Esta invenção já era usada pela população do morro da mare no rio de janeiro em 1970 ( brasileiros muito a frente do tempo ), e não eram engenheiros .