vortex-bladeless700

Os tradicionais cata-ventos estão com os dias contados. Isso porque, a empresa espanhola Vortex Bladeless desenvolveu um novo sistema que dispensa as lâminas e utiliza a agitação da própria torre para gerar energia elétrica. Batizados como Vortex Mini (uso doméstico) e Vortex Gran (uso industrial), os dois dispositivos garantem eficiência, sustentabilidade e economia na fabricação.

.

Ao invés de capturar energia pelo movimento circular de uma hélice, os inovadores equipamentos aproveitam o fenômeno aerodinâmico da vorticidade. Nessa teoria, o vento que flui ao redor de um objeto produz pequenos vórtices, suficientes para uma estrutura fixa oscilar e entrar em ressonância com a corrente de ar.

instalacao-em-qualquer-espaco-2

Esse efeito é encarado pelos engenheiros e arquitetos como um problema, pois criam uma espécie de redemoinho que pode desestabilizar as construções.  No caso da nova tecnologia, no entanto, os engenheiros criaram um design para que os vórtices percorram os cones em sua totalidade, sincronicamente.

estrutura-oscilante-3

Como os aparelhos são feitos com materiais leves e resistentes – fibra de carbono e de vidro –, as agitações são maximizadas e, consequentemente, gera-se mais energia. Já na base das turbinas foram instalados dois ímãs que funcionam como motores, pois à medida que as oscilações ocorrem, eles se repelem e puxam o mastro de um lado para o outro, intensificando o movimento. Essa energia cinética é depois convertida em energia elétrica por meio de um alternador, que também multiplica a frequência de vibração do objeto.

nova-tecnologia-energia-eolica-4

As vantagens do Vortex Mini e do Vortex Gran são diversas. Segundo a empresa Vortex Bladeless, o fato de não possuírem componentes mecânicos barateia a fabricação em pelo menos 51%, em comparação aos modelos convencionais. Com isso, minimiza-se em até 40% a pegada de carbono (a quantidade de gás gerada na produção). Além disso, a ausência de engrenagens, parafusos e partes móveis, que são facilmente desgastadas, reduz em 80% os custos com a manutenção.

turbinas-eolicas-de-fibra-de-vidro-e-carbono-5

Apesar das novas turbinas absorverem 30% menos de vento que aos equipamentos de pás, isso é compensado pela instalação de um maior número em um mesmo espaço, já que podem ser colocadas próximas uma das outras. São também silenciosas e representam risco inferior aos pássaros.

torre-eolica-vortex-6

Ainda em fase de testes, a nova tecnologia já arrecadou US$1 milhão em investimentos públicos e privados na Espanha. A Vortex Bladeless pretende lançar seu primeiro produto até o fim deste ano.

Acompanhe neste vídeo como a estrutura funcionará:

Crédito/fonte da foto: CloseUP Engineering, Disgusting Men e Gigazine
Fonte do post: Wired /Info – ABRIL – AECWeb